quarta-feira, 16 de maio de 2012

domingo, 25 de março de 2012

O FASCISMO ITALIANO - O NAZISMO

O IMPÉRIO ROMANO No Apogeu do Império

VIOLÊNCIA TRIBAL NO SUDÃO DO SUL


Segundo as autoridades, é uma nova etapa de um conflito que já deixou 60 mil desabrigados no mais novo país do mundo. O Sudão do Sul tornou se independente do Sudão em Julho de 2011, conforme previa um acordo de paz de 2005 que encerrou décadas de guerra civil. Mas o governo local enfrenta a violência tribal e de rebeldes, que resultou em pelo menos 3.000 mortes em 2011.

Os novos incidentes começaram em dezembro no vasto Estado de Jonglei, onde a tribo Lou Nuer atacou a rival tribo Murle. As autoridades locais dizem que já 2.000 pessoas foram mortas. Philip Thon Leek Deng, parlamentar e líder comunitário local, disse que uma milícia juvenil da tribo Murle atacou Duk Padyet, em Jonglei, matando principalmente crianças, mulheres e idosos da tribo Lou Nuer.

A ONU diz que 60 mil pessoas já tiveram de fugir das suas casas por causa do conflito em Jonglei. O Sudão do Sul é o país mais recente e mais pobre do Mundo, mas o Sudão do Norte já é mais rico, pois abrange a zona petrolífera apesar de estarem a explorar os africanos.

A empresa francesa Total, está a contaminar a zona onde morrem milhares de pessoas devido às contaminações.

Diogo Fernandes 7ºB

A ROSA DOS VENTOS



A rosa dos ventos, é uma figura onde se assinala 16 direções.


Assim, os pontos cardeais podem ser localizados com exatidão. Cada quadrante da rosa-dos-ventos corresponde a 90º: considera-se o norte a 0º; o leste a 90º; o sul a 180º, o oeste a 270º, e novamente o norte a 360º.


A utilização da rosas-dos-ventos é extremamente comum em todos os sistemas de navegação antigos e atuais.



O seu desenho em forma de estrela tem a finalidade única de facilitar a visualização com o balanço da embarcação, portanto os quatro pontos cardeais principais são os mais fáceis de ser notados.


Os pontos colaterais são nordeste, sudeste, noroeste e sudoeste e os chamados pontos intermédios; nor-nordeste, nor-noroeste, su-sudeste, su-sudoeste, és-nordeste, és-sudeste, oés-sudoeste, oés-noroeste.

Raquel Gonçalves 7ºA

CONSTELAÇÃO CRUZEIRO DO SUL






Conhecida pelo brilho das suas estrelas, a constelação Crux ou Cruzeiro do Sul situa-se entre inúmeras manchas escuras, o que permite que esta seja destacada.

A sua disposição é idêntica a uma cruz, esseo motivo pelo qual se chama Crux.

A Constelação Crux ou Cruzeiro do Sul é uma das formaçõesmais conhecidas do céu meridional (sul).

Localiza-se perto do Pólo Sul, apenas podendo ser observada no hemisfério sul, à exceção dealgumas regiões do hemisfério norte próximas à linha do equador.

Entre todas as 88 constelações conhecidas, o Cruzeiro do Sul é a que menos área ocupa no céuaustral (sul).

As principais estrelas desta constelação são Alpha, Beta, Gamma e Delta, as de primeira magnitude. Para além destas existe uma outra, Epsilon do Cruzeiro, esta de terceira magnitude.

A olho nu, apenas é possível observar cinco estrelas, quatro delas dispostas em forma de cruz, na qual Alfa e Gama formam a haste; Alfa encontra-se ao pé da cruz; Beta e Delta definem os braços; Epsilon encontra-se sobre o braço menor da cruz.

Beta é a estrela mais brilhante do grupo, uma gigante azul-clara com quase 5 vezes o tamanho do Sol. Com uma luminosidade 8000, estima-se que a estrela esteja a 580 anos-luz.

Gammaforma o topo da cruz. A sua distância não foi ainda calculada.

Delta é o vértice oeste, sendo muito idêntica quanto ao tamanho e distância a Alpha.

Alpha é o vérticeeste, sendo muito idêntica a Delta.

Com apenas binóculos podemos observar tanto Alfa como Gama.

Alpha, Beta e Delta são estrelas quentes e azul-claras, enquanto Gamma é uma estrela vermelha.

O Cruzeiro do Sul é uma constelação circumpolar, ou seja, que se situa sobre a Via Láctea e o Círculo Polar Antártico Celeste.

Anteriormente, esta pequena constelação fazia parte da constelação Centauro, tal como estabelecia Ptolomeu, mas com o passar dos anos, o astrónomo Royer passa a classificar este belíssimo e útil agrupamento de estrelas como uma constelação autónoma, pelas suas próprias características, tais como a sua disposição que a distinguede todas as outras constelações, para além do brilho intenso das suas várias estrelas.

Classificada por Ptolomeu, a constelação Cruzeiro do Sul é um excelente relógio, pois a linha formada pelas estrelas Alfa e Gama, constituintes do braço mais extenso, giram em torno do Pólo Sul aproximadamente durante 24 horas. O braço mais extenso serve também para identificar o Pólo Sul, situado a uma distância de 3,5 vezes a longitude da própria constelação.

No Brasil, o Cruzeiro do Sul é a mais conhecida das 88 constelações que podem ser identificadas da Terra.

O Cruzeiro do Sul aparece, por exemplo, nas bandeiras da Austrália e da Nova Zelândia, com Epsilon do lado esquerdo. Já na bandeira brasileira que também inclui a constelação, podemos encontrar esta mesma estrela do lado direito e por tal motivo, tem provocado polémicas.


Vista da Terra do Cruzeiro do Sul


Localização da Constelação

Catarina Bragança Turma D

sexta-feira, 2 de março de 2012

A propósito do Encontro com o escritor Joel Cleto

Na sequência do estudo de uma lenda sobre Valongo, da obra "Lendas do Porto", de Joel Cleto, os alunos do 8.ºA realizaram um podcast com a leitura da lenda, que ilustraram com os seus desenhos.

video

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

GRÉCIA ANTIGA...O EXEMPLO DE ATENAS

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Dia da Floresta Autóctone

Porquê o Dia da Floresta Autóctone?

O Dia da Floresta Autóctone (23 de Novembro) foi estabelecido para promover a divulgação da importância económica e ambiental da conservação das florestas naturais e a necessidade de as salvaguardar da destruição. Este dia está mais adaptado às condições climatéricas portuguesas para se proceder à sementeira ou plantação de árvores, alternativo ao Dia Mundial da Floresta - 21 de Março, criado inicialmente para os países do Norte da Europa.

Esta pior relação com a plantação em Março prende-se com a ausência a curto prazo de um facto essencial ao desenvolvimento da jovem árvore – a água. A plantação de árvores no início da Primavera em Portugal apresenta frequentemente um baixo sucesso, associado ao aumento das temperaturas e redução das chuvas que se faz sentir com a proximidade do Verão. Nesta altura torna-se mais adequado, na situação portuguesa, ver o desenvolvimento das áreas plantadas em Novembro ou até para uma visita à floresta.

A participação e colaboração de todos è fundamental para a protecção da nossa floresta autóctone, nomeadamente na recolha de algumas sementes, na sua germinação e plantação. Para mais esclarecimentos sobre quais as árvores mais adequadas na sua região, contacte a cooperativa da sua zona ou os serviços florestais.

As professoras de Geografia